quarta-feira, 15 de março de 2017

A ROSA E O PIANO






A MUSICA PAROU
NO SILÊNCIO FICOU
UMA ROSA NO TECLADO
EM MOMENTOS PERFUMADOS
QUE A SAUDADE DEIXOU
FORAM DIAS PASSADOS
RETALHOS DO QUE RESTOU
SÃO ABRAÇOS
FEITO PEDAÇOS
DE UMA LEMBRANÇA
QUE POR AI SE ESPALHOU
FOI A FALTA DO BEIJO
QUE DENTRO DE MIM
O DESEJO
FOI MORRENDO
EM TARDES AMENAS
SOBRE AS PENAS
DE UMA CANETA
QUE SEU NOME RABISCOU
FORAM GOTAS DO SERENO
EM BRILHOS PEQUENOS
DE UMA ESTRELA
QUE AO VÊ LA
A NUVEM... APAGOU.
É A ROSA E O PIANO
NO SILÊNCIO DO NADA
TAL QUAL VENTO NA ESTRADA
A SAUDADE LEVOU
É APENAS O NOSSO MUNDO
QUE EM SEGUNDOS
SUMIU
TAL QUAL FOLHA
QUE O VENTO TROUXE
AO LEITO... DESTE RIO.
POIS EM DESAFIO
MEUS PENSAMENTOS
FORAM POR AI
QUERENDO FLUIR
DENTRO DOS TEUS
MAS AMANHECEU
CEDO DE MAIS
NÃO FUI CAPAZ
DE NADA
E PELA ESTRADA
VOLTEI CANSADO
MOLHADO
PELO ORVALHO

QUE BEIJOU... A FLOR.