terça-feira, 10 de janeiro de 2017

QUANDO AMANHECER







AS FOLHAS VÃO CAINDO
ENTRE UM SUSPIRO E OUTRO
NESTE MÊS DE AGOSTO
ENTRE AS CHUVAS DE VERÃO
ENTRE DESEJOS QUE SEM EXPLICAÇÃO
VÃO SE DESMANCHANDO
ASSIM QUE O SOL VOLTA A BRILHAR
ASSIM QUE A TARDE PASSA
ASSIM QUE AS NUVENS DE FUMAÇA
SAEM DESTA CHAMINÉ
SÃO SEUS PÉS
DEIXANDO PEGADAS NAS AREIAS
O VENTO SEMEIA
AS FLORES QUE AINDA VÃO NASCER
SUAS PÉTALAS VÃO SE FORMANDO
VÃO ENVOLVENDO O RAMO CHEIO
DE ESPINHOS
VÃO TRANÇANDO NOVOS CAMINHOS
QUEM SABE POSSAMOS SEGUIR
A NOITE LOGO CHEGA
A VELA SOBRE A MESA
TREMULA QUERENDO APAGAR
E EM SEU ULTIMO SUSPIRO
ELE DANÇA EM SEU BRILHO
COMO SE NUNCA MAIS

FOSSE... VOLTAR,