sábado, 10 de dezembro de 2016

EM ALGUM LUGAR DESTA SAUDADE






NÃO ME DEIXE AGORA
POIS LA FORA
A TEMPESTADE
AINDA NÃO PASSOU
E O VENTO NA JANELA
QUER AGARRAR A CORTINA
NESTA HORA EM QUE A MENINA
ADORMECE
NESTA PRECE DAS SEIS HORAS
LA FORA
A BRISA SUAVE
ENTRE AS PASSAGENS
DESTE SONHO A REALIDADE
ESTA CHOVENDO SAUDADE
DENTRO DO PEITO
E ASSIM QUE ME DEITO
A LÁGRIMA VEM
CAI SOBRE O TRAVESSEIRO
SINTO SEU CHEIRO
É PERFUME PELA CASA
A LENHA EM BRASA
ESTA SE APAGANDO
NESTE BANCO
SENTAVA VOCÊ
QUERO MORRER
EM SEUS BRAÇOS
RENASCER
COMO SE FOSSE TEU PEDAÇO
TENTANDO ME RECONSTRUIR
NUNCA DEIXE DE SORRIR
POIS AINDA PRECISO DE VOCÊ
QUE SEM QUERER
FICOU... EM ALGUM LUGAR DESTA

SAUDADE.