sábado, 26 de novembro de 2016

REFLETINDO NO ESPELHO




SEUS CABELOS
ESVOAÇANDO
SOBRE O VENTO
RELEMBRAM O TEMPO
QUE A MUITO PASSOU
SÃO LÁGRIMAS QUE INUNDOU
OS OLHOS TEUS
SÃO LÁGRIMAS QUE ME DEU
NOITE PASSADA
FORAM MURMÚRIOS
DENTRO DA MADRUGADA
E NADA FICOU
SUA MÃO TOCANDO A MINHA
É UMA TÊNUE LINHA
ENTRE O PRESENTE E O PASSADO
SÃO LEMBRANÇAS
QUE AO SEU LADO
EU PASSEI
E ME PERDOE AGORA
POIS LA FORA A FLOR SE ABRIU

E DE SAUDADE... EU CHOREI.