sábado, 23 de abril de 2016

LAGRIMAS AO VENTO





MINHA VIDA
VAI SENDO CONSUMIDA
PELA DOR
DESTA SAUDADE
PELA FLOR
QUE PELA METADE
O VENTO DEIXOU
PELA LÁGRIMA QUE CAIU
E AS ÁGUAS DESTE RIO
CARREGOU
MINHA VIDA
SEM VOCÊ NÃO EXISTE
É UMA HISTÓRIA TRISTE
EM UM LIVRO CONTADO
É O OUTRO LADO
DA MOEDA QUE NÃO VIROU
É O AMANHECER SEM BRILHO
É O TREM
QUE ATRAVESSA O VALE
ENCIMA DE UM TRILHO
NA ESTAÇÃO QUERENDO PARAR
É A CHUVA QUE MOLHA
A JANELA
É O VENTO QUE CARREGA ELA
E NOS BRAÇOS DO MAR
VAI ENTREGAR
É A MADRUGADA FRIA
CONGELANDO OS MEUS OLHOS
LA ONDE A LÁGRIMA
DENTRO DO SEU BRILHO
VEIO... CONGELAR.
MINHA VIDA
JÁ NÃO TEM GRAÇA
SÃO NUVENS DE FUMAÇA
QUERENDO SE DESFAZER
SÃO TEMPESTADES
E RAIOS       
E POR MAIS QUE EU ENSAIO       
EU SEI

SEMPRE... VOU LEMBRAR DE VOCÊ.