sábado, 2 de janeiro de 2016

QUANDO ME DEIXOU IR EMBORA






A CHUVA LA FORA
VAI CAINDO
O VENTO VEM VINDO
TRAZENDO AS GOTAS
PARA JOGAR SOBRE A JANELA
E AO DESLIZAR POR ELAS
ELAS MORREM PELO CHÃO
A CHUVA MOLHA O TELHADO
SÃO VENTOS GELADOS
QUE POR SI SE ESPARRAMOU
E EU SEM VOCÊ
NEM SEI QUEM SOU
NEM SEI O QUE FAÇO
SOU APENAS UM PEDAÇO
QUE COM A CHUVA SE DESMANCHOU
SOU O REFLEXO NO ESPELHO
SOU O VERMELHO
DOS OLHOS TEUS
QUE SE ENTRISTECEU
ASSIM QUE FUI EMBORA
SOU APENAS A CHUVA LA FORA
FORMANDO RIOS
POÇAS D´ÁGUAS
DESAFIOS
UM SONHO PARA SONHAR
TEU PALADAR
MINHAS NOITES DE AMOR
PERFUME QUE A FLOR

DEIXOU... ESCAPAR.