domingo, 6 de dezembro de 2015

QUANDO A LUA SE APAGA






A ESTRADA
ESTA VAZIA
O CARRO DESLIZA
FEITO LÁGRIMA FRIA
NA VELOCIDADE
DO PENSAMENTO
O VENTO BATE NO
PARA BRISA
A FOLHA PASSA
OS OLHOS EMBAÇAM
JÁ NÃO SEI O QUE FAÇO
COM ESTAS LEMBRANÇAS
QUE CARREGO NO PORTA MALA
O CORAÇÃO DISPARA
VAI A TREZENTOS POR HORA
SENTINDO QUE VAI DERRAPAR
VAI SE PERDE EM UMA CURVA
QUALQUER
POIS TEUS OLHOS DE MULHER
SE ASCENDEU
VEIO DE ENCONTRO AOS OLHOS
MEUS
TENTANDO ME CEGAR
E QUANDO A LUA SE APAGA
SEI QUE NADA
ME RESTA
SOMENTE AS ESTRELAS
ME EMPRESTA
SUA LUZ
QUE EU SEI VAI BRILHAR
O PNEU CANTA
PELO ASFALTO MOLHADO
DEIXANDO RASTROS
DE RECORDAÇÕES
DEIXANDO PEDAÇOS
DE ILUSÕES
REFLETIDOS NO ESPELHO
POIS O SINAL VERMELHO

ME FEZ... DESACELERAR.