quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

ARREPIOS




QUANDO TE ABRAÇO
ULTRAPASSO
OS LIMITES DO INFINITO
SÃO GEMIDOS E GRITOS
EM DELÍRIOS DE AMOR
SÃO PERFUMES DE FLOR
ESPALHANDO SE PELA CASA
SÃO CHAMAS VIRANDO BRASA
QUERENDO NUNCA SE APAGAR
QUANDO OLHO PARA OS OLHOS
TEUS
DENTRO DO MEUS
UM BRILHO SE ASCENDE
E SÓ VOCÊ ME COMPREENDE
ASSIM QUE BRILHA O LUAR
SÃO ARREPIOS
VENTOS FRIOS
EM RELAM PEJOS DISTANTES
SOMOS AMANTES
QUERENDO SE COMPLETAR
SOMOS DESEJOS ENTRE BEIJOS
DESEJANDO NUNCA ACORDAR
SEU CORPO COLA NO MEU
COMO UM PRESENTE QUE ME DEU
ME DANDO A FELICIDADE
E DENTRO DA REALIDADE
PROSSEGUIMOS ADIANTES
FEITO DOIS AMANTES
MADRUGADA ADENTRO
SÃO SUSSURROS DO VENTO
DEIXANDO O ORVALHO NA JANELA
E SOBRE ELA
MEU CORPO NU
E ESTE INFINITO PALADAR
QUANDO AO ME BEIJAR
EM MEUS LÁBIOS DEIXOU
E VOCÊ BEM SABE... ARREPIOU.