sábado, 9 de maio de 2015

NO CLARÃO DO LUAR







NO CLARÃO DO LUAR
TEUS OLHOS FUI BUSCAR
ENTRE AS ESTRELAS DESTE CÉU
SÃO APENAS POEMAS
EM UMA FOLHA DE PAPEL
PALAVRAS SEM NEXO
SÃO COMPLEXOS
DE UMA PAGINA VIRADA
SÃO POEIRAS PELA ESTRADA
AO ANOITECER
E EU SEM VOCÊ
ME SINTO PERDIDO
O CORAÇÃO FERIDO
SENTE SAUDADES
RECORDAÇÕES QUE NA VERDADE
SEM TORNARAM INTERMINÁVEIS
SÃO INESGOTÁVEIS
DESEJOS
LÁBIOS QUENTES
ENTRE LONGOS BEIJOS
NO CLARÃO DO LUAR
ATRAVESSEI RIOS E MARES
LONGÍNQUOS LUGARES
SONHOS DESFEITOS
DORES NO PEITO
LÁGRIMAS AO VENTO
SÃO APENAS MOMENTOS
DE DESESPERO
CABEÇA NO TRAVESSEIRO
ALMA VOANDO
ESTOU PLAINANDO
DENTRO DOS OLHOS TEUS
FOI A LUA QUE ME DEU
ESTE BRILHO QUE NELES ENCONTREI
ATÉ PENSEI
SER UM SONHO QUE COMEÇOU
MAS NO FINAL
EU SEI... APENAS ACABOU
FOI EMBORA
RELÓGIO APENAS MARCOU
A HORA
TERMINOU
E NO CLARÃO DA LUA
A IMAGEM TUA
AO AMANHECER

TAMBÉM... SE APAGOU.