sexta-feira, 17 de abril de 2015

QUANDO A ESTRELA CAI








SÃO FRAGMENTOS
ESPALHADOS
PELO VENTO
EM FORMA
DE DESEJO
SÃO LÁBIOS
QUE SE UNEM
EM FORMA
DE BEIJOS
SÃO FAÍSCAS
E EXPLOSÕES
SÃO TEMPESTADES
CHUVAS DE VERÃO
SÃO FASES DA LUA
QUE MINGUANTE
SOME
E CONSOME
MINHA IMAGINAÇÃO
SÃO ESTRADAS
VAZIAS
LUZES QUE UM DIA
NO CÉU BRILHOU
SÃO ESTRELAS QUE CAEM
FEITO PEDAÇOS
DE UMA CONSTELAÇÃO
QUE SE APAGOU
SÃO LABAREDAS
POEMAS SEM FIM
VELAS SOBRE A MESA
SUAS LÁGRIMAS
DENTRO DE MIM
SÃO DESENCONTROS
DESESPEROS
SONHOS QUE SE EXTINGUIU
NAS FRONHAS DE UM TRAVESSEIRO
SÃO LONGAS NOITES DENTRO DAS
MADRUGADAS
SÃO OS OLHOS TEUS
QUE DENTRO DOS MEUS
VAGAM POR ESTA ESTRADA
E NO FINAL DE TUDO
O MUNDO DESABA
HOJE SOMOS NADA
APENAS O PÓ

O NÓ... QUE NÃO DESATA.