sexta-feira, 17 de abril de 2015

ACORRENTADOS








QUEBRA O SILÊNCIO
QUE NOS ENVOLVE
QUE NOS COBRE
QUANDO LADO A LADO
DEITAMOS
POIS SABEMOS
QUE NUNCA MAIS VAMOS
NOS TOCAR
QUE A VELHA CHAMA SE APAGOU
QUE AS CINZAS VOOU
PELO ESPAÇO
FEITO PEDAÇOS
DE NOSSAS ALMAS
QUE COMO VIDRO
SE QUEBROU
DEIXE A NOSTALGIA
NESTA MAGIA
NOS ACORRENTAR
PARTIR O ELO QUE NOS
PRENDE
ENQUANTO SE VENDE
AOS RAIOS DESTE LUAR
QUE PELAS ONDAS DO MAR
DESLIZOU
HOJE NÃO QUERO SEU BRILHO
POIS O VENTO FRIO
PERCORRE PELO CAMINHO
NESTE DESALINHO
DE NOSSOS DESEJOS
POIS NEM MESMO TEUS BEIJOS
VOU QUERER
E SE EU MORRER
QUE VA EM PAZ
SÃO SAUDADES
QUE LHE SATISFAZ

NESTE FRIO E TRISTE... AMANHECER